Presidente do Sinjor-AM, Wilson Reis tem contas reprovadas e tenta reverter decisão em ato ilegal

Sindicato dos Jornalistas do Amazonas / Foto: Divulgação

O presidente do Sindicato dos Jornalistas do Amazonas (Sinjor-AM), Wilson Carlos Braga Reis, teve a prestação de contas do ano de 2023 reprovada em assembleia-geral realizada no dia 29 de abril deste ano, por 11 votos contra sete, e tenta reverter a decisão em ato ilegal. A reprovação das contas de Wilson Reis o deixa inelegível para a próxima eleição do sindicato, em 2026. Ele ocupa o cargo de presidente há mais de dez anos.

Em reunião realizada com a diretoria executiva do Sinjor-AM, no qual Reis tem a maioria, o presidente anulou a assembleia e convocou nova assembleia para esta terça-feira, 4, às 19h, sem a publicação da ata da assembleia anterior, sem a publicação da ata da reunião executiva em cartório e fora do prazo legal para o julgamento da prestação de contas de 2023, que era até o dia 30 de abril de 2024, como prevê o artigo 67 do Estatuto do Sinjor-AM.

Saiba quem faz parte da Diretoria Executiva do Sinjor-AM
https://jornalistasam.com.br/novosite/diretoria/

Na convocatória do dia 29 de abril, Wilson Reis suprimiu do documento que todos os jornalistas sindicalizados precisavam estar com a anuidade de 2024 em dia. Os jornalistas que votaram no dia estavam com menos de um ano da anuidade de 2023 paga e não receberam notificações informando o atraso de pagamento relativo ao ano corrente. Na nova convocatória, Wilson Reis publicou que os sindicalizados aptos a votar as contas precisavam estar “quites com as obrigações estatutárias” sem dar detalhes.

As contas do presidente do Sinjor-AM de 2023 foram reprovadas por ilegalidades detectadas no balanço patrimonial do sindicato, como doações para o Sinjor-AM não contabilizadas, falta de documentos fiscais, notas fiscais com rasuras e apagadas, além de débitos sem identificação no extrato bancário. Em 2023, o Sindicato dos Jornalistas do Amazonas movimentou mais de R$ 157 mil, sendo a maioria do recurso oriundo de verba pública.

Ao assumir o cargo de vice-presidente do Sinjor-AM, a jornalista Paula Litaiff se disponibilizou a contribuir para a captação de recursos voltados à reforma da sede do sindicato e com a realização de projetos de empreendedorismo para os jornalistas.

Paula Litaiff foi eleita para ser vice-presidente do sindicato em dezembro do ano passado para o período de 2023–2026. O convite para formar chapa com o Wilson Reis foi aceito mediante promessa de que a nova gestão seria conjunta e transparente, visando auxiliar a categoria de jornalistas.

Antes de iniciar a captação de receitas para o Sinjor-AM, Paula Litaiff pediu para ter acesso aos documentos fiscais do sindicato, o que lhe foi negado verbalmente e por documentos extrajudiciais nos dias 26 de fevereiro de 2024 e 10 de abril de 2024.

No dia da reprovação da prestação de contas de Wilson Reis, a contadora do Sinjor-AM, Rosana Valério, apresentou o Balanço Patrimonial e Financeiro e admitiu irregularidades no documento, como o não registro de doações para o sindicato no ano de 2023. A declaração da contadora foi questionada pelos jornalistas presentes na assembleia-geral, cuja maioria decidiu por reprovar as contas de Wilson Reis.

Em ato ilegal, Wilson Reis pretende anular arbitrariamente a decisão de 29 de abril da assembleia-geral – considerada soberana pelo Estatuto do Sinjor-AM – em uma nova assembleia a ser realizada hoje, terça-feira, 19h, na sede do sindicato, localizada na Praça Santos Dumont, 15, no Centro da cidade.

Ata Assembleia Sinjor AM