Caso Djidja: Justiça manda soltar maquiador suspeito de envolvimento com seita

Foto: Reprodução

A Justiça do Amazonas mandou soltar o maquiador Marlisson Vasconcelos Dantas, suspeito de ser um dos envolvidos no grupo religioso que utilizava cetamina em rituais chefiado por familiares de Djidja Cardoso, ex-sinhazinha do Boi Garantido encontrada morta, em Manaus, no dia 28 de maio.

Informações obtidas com exclusividade pela Rede Amazônica junto ao Poder Judiciário apontam que a decisão, que deferiu a liberdade provisória do maquiador, foi proferida nesta quarta-feira (12). A informação foi confirmada pela defesa, que também explicou que Marlisson só deve sair nesta quinta (13).

Em nota, a defesa informou que conseguiu a liberdade do maquiador, após apresentar argumentos que demonstraram que ele não preenchia os requisitos para a prisão.

Segundo as investigações, Marlisson trabalhava como maquiador e era responsável por uma unidade da rede de salões de beleza administrada pela família Cardoso. Ele seria um dos responsáveis por fornecer a cetamina utilizada nos rituais e administrar a droga em usuários.

Com informações do G1